Novas receitas

Receita de espaguete all'Amatraciana

Receita de espaguete all'Amatraciana


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

  • Receitas
  • Ingredientes
  • Massa
  • Macarrão e bacon

Um prato de macarrão com tomate e bacon italiano picante, onde você pode variar a quantidade de flocos de pimenta picante para tornar este prato tão picante quanto você gosta. Buon Appetito!

1 pessoa fez isso

IngredientesServe: 2

  • 120g de bacon ou pancetta em fatias finas, picada
  • 1 cebola picada
  • 1 colher de chá de flocos de pimenta picada
  • 400g de tomate passata
  • 4 colheres de sopa de vinho branco
  • 225g de espaguete cru
  • Sal e pimenta a gosto

MétodoPreparação: 15min ›Cozimento: 15min› Pronto em: 30min

  1. Em uma panela grande em fogo médio, cozinhe o bacon, a cebola e a pimenta em flocos até que a cebola esteja macia, mas não dourada.
  2. Junte os tomates e o vinho; cozinhe por cerca de 20 minutos. Enquanto isso, leve uma panela grande com água levemente salgada para ferver. Adicione o espaguete e cozinhe por 8 a 10 minutos ou até ficar al dente; ralo.
  3. Adicione a massa ao molho e mexa bem; cozinhe por mais 2 a 3 minutos (isso vai infundir o molho na massa). Adicione sal e pimenta preta a gosto; servir.

Visualizado recentemente

Críticas e avaliaçõesAvaliação global média:(0)

Resenhas em inglês (0)


Receita Spaghetti all'Amatraciana - Receitas

Fiz uma boa refeição no Lupa recentemente.

Comecei com Sardines alla Romana (US $ 10), em que filés de sardinha curada são apresentados com pinenuts, passas e pequenos pedaços de pão crocante que absorvem a umidade. Uma marinada de três frutas cítricas foi usada. Não gostei particularmente desta preparação, no entanto.

Meu companheiro de jantar tinha berinjela à parmegiana (US $ 5). Surpreendentemente, o prato não é apresentado quente, com o queijo derretido em cima da berinjela. As porções de berinjela em cubos estavam apenas ligeiramente acima da temperatura ambiente, e o queijo utilizado assemelhava-se mais à textura de uma ricota do que se poderia associar normalmente à berinjela à parmegiana. Este prato estava na média.

Nós dois dividimos um Bucatini all & # 39 Amatraciana (sp) (US $ 14), que foi descrito no menu como espaguete gordo e oco com guanciale, cebola roxa e um molho de tomate espesso (picante). Achei este prato muito saboroso, e considerei-o o melhor prato da noite e a razão pela qual achei a refeição no Lupa boa. A massa, que tem uma densidade não encontrada no espaguete, foi cozida al dente. Normalmente gosto de massas cozidas um pouco mais do que al dente, mas aqui a preparação al dente funcionou bem. Os sabores de tomate cozido foram bem comunicados, com o guanciale se expressando de forma adequada no final de uma garfada de macarrão. O molho era adequadamente limitado, mas tinha bons sabores de tomate. Bebemos dois quartinos de 1997 Oltiepo Pavese Bonarda & # 39Fatila & # 39 Castellazzo Lombardia (US $ 16 cada).

Então, meu companheiro de jantar e eu dividimos um dos pratos especiais do dia - barriga de porco. A porção era bem grande e, curiosamente, a casca não era para ser crocante, mas mais elástica. Este prato era bastante bom, e a acidez no molho do feijão-lentilha que acompanhava o prato cortou apropriadamente na gordura do ventre de porco.

Terminei com um vôo de amaro (US $ 15). Um trouxe à mente cerejas ácidas e outro, um sabor de hortelã com ervas. O terceiro tinha mais sensação de melaço, tinha mais peso e tinha um gosto de ervas clorofila.


Il Sugo all'Amatriciana

Hai sicuramente mangiato, nella tua vita, in qualche trattoria di cucina romana, o magari a casa tua e cucinati da te stesso, degli ottimi espaguete, bucatini o rigatoni condi con il sugo all’amatriciana . O, forse, ti hanno venduto per amatriciana della pasta condita con un pomodoro qualunque, un salume indefinito, peperoncino e parmigiano.

Questo piatto, nato secondo la tradizione ad Amatrice - cittadina di poco meno di 2.500 abitanti na provincia di Rieti, da cui la ricetta prende il nome - é um clássico della Cucina Romana Tradizionale e lo si può trovare praticamente em tutte le trattorie della capitale, del Lazio e d'Italia (e naturalmente anche nei ristoranti italiani all’estero). E 'talmente noto che anche Wikipedia gli ha dedicato una voce specifica!

L'amatriciana é figlia di un’altra ricetta povera delle terre laziali la macarrão alla gricia (conosciuta anche vem cacio e até) che ha praticamente gli stessi ingredientei della nostra ricetta, con l’esclusione del pomodoro. Un sugo alla Amatriciana in bianco, in pratica.

La ricetta, non solo è stata tutelata dal Comune di Amatrice con un marchio di origine, ma - come riportato sulla Gazzetta Ufficiale della Unione Europea del 13 marzo 2020 - è anche stata inserita nel Registro Europeo delle Denominazioni d'Origini e Indicazioni geografiche e riconosciuta vem Specialità Tradizionali Garantita.

Naturalmente anche a te piacerebbe cucinare um ottimo piatto di pasta con questa ricetta. Ma davvero pensi di conoscerla perfettamente? Vorresti imparare a cucinare l’amatriciana perfetta?

Io posso dirti venha comer senza incorrere in errori grossolani!

L'Amatriciana di Carlo Cracco

O famoso chef Carlo Cracco é estado no centro de uma acesa polêmica com a Comune di Amatrice, proprietário de sulla ricetta della Amatriciana. Cracco, giudice di Master Chef Italia, Hell's Kitchen nonché testemunho delle patatine San Carlo, recentemente svelato il suo segreto sul sugo all’Amatriciana: l’utilizzo dell’aglio vestito all’interno della salsa.

A discussão é finita su diversi giornali nazionali e ha fatto il giro del web: este artigo l'articolo apparso il 10 febbraio 2015 su Il Fatto Quotidiano. Altri articoli sono apparsi su “La Repubblica”, Leggo.it e numerosi giornali locali. Si é scomodato addirittura il Sindaco di Amatrice con un comunicato oficial a difesa della ricetta originale.

E non è finita qui, dopo la gaffe sulla Amatriciana Carlo Cracco ne ha commessa un’altra sulla ricetta della Gricia. Lo chef ha ammesso di usezare, nel case specifico, addirittura la cipolla. Neste caso, l’articolo, lo potete leggere qui, è apparso su Leggo.it

Quindi, visto che fra poco conoscerete i segreti della Amatriciana perfetta potrete dire: la conosco meglio di Cracco!

Carlo Cracco, però, la ricetta originale dell’amatriciana la conosce bene. Obviamente. A seguito delle furibonde polemiche seguite a queste sue esternazioni è stato lo stesso Cracco a smentire. “Stavo solo scherzando” ha affermato lo chef in una intervista al quotidiano romano Il Messaggero. Caso chiuso? Probabilmente sim, ma la polemica ha oramai superato i confini nazionali grazie a un articolo apparso sul quotidiano inglese The Guardian. Qualcuno ha addirittura detto che si tratta solo di una polemica artificiosa a fini pubblicitari. Di certo l’allievo di Gualtiero Marchesi non ne esce benissimo.

La Ricetta Originale del Sugo all'Amatriciana

Tempo di Preparazione: 10 minuti - Tempo di cottura: 20 minuti

La Ricetta originale dell’amatriciana è fatta di pochi, semplici ma fondamentali ingredientei. Assolutamente vietato l'uso di aglio, cipolla and pancetta!

  • Espaguete: 400 gramas
  • Guanciale (di Amatrice o Romano DOP): 100 gramas
  • Pecorino di Amatrice: 75 gramas
  • Pomodoro San Marzano (passata o pelati): 350 gramas
  • Olio extra vergine d'Oliva: 1 cucchiaio
  • Vino Bianco Secco: 50 ml
  • Venda, Pepe e Peperoncino: q.b.

Il procedimento è semplice, ma va seguito rigorosamente, per ottenere un risultato perfetto.

Togliere, scolandolo bene, il guanciale dalla padella e tenerlo da parte, al caldo.

Unire all’unto rimasto in padella il pomodoro, che va cotto per qualche minuto, aggiustandolo di sale. Togliere il peperoncino, che a este ponto avrà de suo sapore, evitando di bruciarlo e aggiungere alla salsa i cubetti di guanciale finendo di cuocere e addensare la salsa.

Beh, non proprio: una volta cotta la pasta al dente (una buona pasta trafilata al bronzo, magari di Gragnano, sarebbe l'ottimale e sarebbe un peccato rovinare il piatto com una pasta da poco.), Metterla in una terrina con il pecorino grattugiato.

Mescolare la pasta com o pecorino aggiungendo poi la salsa.

Pochi passaggi, semplici, ma fondamentali: i vostri spaghetti con sugo all’amatriciana sono pronti. Bucatini e rigatoni sono solo tollerati.

Amatriciana o Matriciana?

Giunti a questo punto è bene raccontare una storia. Una storia che vede contraposto l’antica Roma e Amatrice, due ricette differenti, due scuole di pensiero differenti.

Per il Comune di Amatrice si deve parlare di Amatriciana e sugo all’amatriciana, il cui nome deriva da quello della città.

Por i difensori della tradizione Romana si deva parlare di Matriciana. Quella dei cugini di provincia sarebbe una rivisitazione della ricetta romana. Altri dicono che i pastori di Amatrice, che svernavano a Roma visto il clima rigido delle loro terre, avrebbero importato nella caput mundi gli ingredientei di base da cui i romani avrebbero elaborado la ricetta.

La differenza fra le due ricette sta nel fatto che la Matriciana Romana prevede l’utilizzo di cipolla e pomodoro.

L 'origine etimologica del nome matriciana farebbe bene a ripassare la storia e a documentarsi meglio.
La storia è meravigliosa, ma si perde nella notte dei tempi e nessuno ha provar certe dell’origine.

Per risolvere la diatriba diciamo che: se c'è la cipolla e magari della pancetta no posto del guanciale si parla di Matriciana Romana.

La sentenza definitiva - si fa per dire - ce la da una graziosa poesia di Aldo Fabrizi, attore romano e autore di un libro di cucina, da cui la poesia è tratta.

La Matriciana Mia

Soffriggete in Padella staggionata,
cipolla, ojo, zenzero infocato,
mezz’etto de guanciale affumicato
e mezzo de pancetta arotolata.

Ar punto che ‘sta robba è rosolata,
schizzatela d’aceto profumato
e a fiamma viva, quanno è svaporato,
mettete la conserva concentrata.

Appresso er dado che je dà sapore,
li pommidori freschi San Marzano,
co ’un ciuffo de basilico pe’ odore.

E ammalappena er sugo fa l’occhietti,
assieme a pecorino e parmigiano,
conditece de prescia li spaghetti.

Quindi cipolla, concentrato di pomodoro, pancetta tesa e affumicata, aceto e tutto il resto. Una bestemmia ad Amatrice! A me - sinceramente - leggendo è venuta l’acquolina em bocca, non so a voi. Questi bucatini alla matriciana, che poi ho fornecer uma tarifa por davvero (trovate la ricetta e le dosi cliccando sul link precedente), sono davvero ottimi!

Con Aldo Fabrizi è d'obbligo citare la “Sora Lella”, sorella dell’attore, titolare di una trattoria a Trastevere e tra le prime cuoche televisive che mi ricordi. Questione chiusa? Tutt’altro. Ma ora dobbiamo tornare a un’altra storia. La nostra storia. Quella del sugo all’amatriciana.

Amatriciana: perguntas e riscos

Ci são perguntas que che tutti, una volta nella vita, ci siamo posti su questa ricetta. Volete para seus amigos com a sua perfeição sobre a matéria? Ecco tutte le domande e tutte le risposte. Quelle esatte, naturalmente!

Guanciale o Pancetta?

La risposta l’avete avuta in precedenza e val la pena ribadirla. Senza guanciale non è Amatriciana. Se utilizzate la pancetta state cucinando una cosa diversa. Se utilizzate quella affumicata, puro. Ad Amatrice sareste Addati come eretici. A mio avviso a ragione.

Un pomodoro Qualunque o il San Marzano?

La ricetta a denominação protetta indica nel San Marzano il pomodoro ideale. Meglio se fresco, sbollentato precedentemente, pelato e privato dai semi. Non ritengo, personalmente, una bestemmia utilizzare dei buoni pomodori pelati (si trovano anche degli ottimi San Marzano). Da evitare exatamente le passate di pomodoro, non perchè non ce ne siano di buone, ma il rischio di condire la nostra pasta con un concentrato cinese reidratato in Italia lo eviterei. Lo stesso per il concentrato di Pomodoro. Utile a volte, ma in questo caso non utilizzatelo.

Pecorino, Parmigiano o Grana?

Anche in this case, se ci vogliamo attenere alla ricetta originale se non è pecorino, quello utilizzato dai pastori in origine, non è amatriciana.

Il Pecorino di Amatrice sarebbe d'obbligo. Il pecorino romano o il pecorino sardo, ormai, lo si trova praticamente ovunque. Vale la pena fare lo sforzo di cercarlo, comprarlo e utilizzarlo.

Confesso: io a volte utilizzo il parmigiano, in famiglia trovano il pecorino troppo forte, il risultato è decente, ma non è rispettoso della tradizione. E noi vogliamo essere rigorosi!

Bucatini, Spaghetti o Rigatoni?

A rigor di ricetta: espaguete. Ma il bucatino è spessissimo associato, anche nei menu dei ristoranti, all'amatriciana. Talvolta anche a rigatoni o tortiglioni.

Se la pasta é otima e o sugo é altrettanto ottimo non ci são formatados por preferir. Ma lo spaghetto è quello utilizzato, ancora una volta, in origine. Stiamo provando a rimanere rigorosamente nella tradizione.

Em definitiva

Sono convinto che in cucina non esiste la ricetta perfetta o quella originale in assoluto. Na Romagna, mia terra di origine e natale, ogni famiglia si ritiene depositaria della ricetta migliore per la piadina, per il ripieno dei cappelletti, dei passatelli e così via.

La verità é che ogni ricetta e ogni cuoco, domestico e stellato che sia, porta sempre qualcosa di suo a qualsiasi ricetta. Anche utilizando gli stessi ingredientei, alla fine, quello che la diffenza è la mano del cuoco e la sua passione, che è poi quella che si avverte mangiando.

Qualcuno direbbe, um ragione, che l’ingrediente migliore dei piatti è l’amore: é per quello che i piatti migliori sono quelli cucinati dalle mamme e dalle nonne. Nello specifico, le mie!

Esiste, pertanto, una ricetta originale del sugo all’amatriciana che è quella protetta dalla De.Co. di Amatrice. Ma d’altra parte c’è chi il sugo all’amatriciana lo cucina col bimby, chi utilizza il sugo all’amatriciana Barilla (problema suo), chi si rivolge con fiducia ai tanti - e ottimi - blog di cucuna che affollano il web.

La conclusione è che, si tratti di sugo all’arrabbiata, sugo alla puttanesca, sugo all’amatriciana o alla gricia, alla fine il giudizio finale lo da sempre il palato nostro e degli ospiti. Com o ritmo do Chef Cracco e del Sindaco di Amatrice.


Histórias envolventes de amor, alegria, conforto e amizade com receitas comprovadamente deliciosas e saudáveis, celebramos o AMOR como o ingrediente secreto para uma comida maravilhosa!

Este prato, Pasta all’Amatraciana, me dá uma grande alegria de fazer e é tão cheio de memórias incríveis. Veja, quando eu fugisse para a Itália sozinho por dois períodos de 3 meses após a morte de Steve, eu voaria para Milão, para poder visitar Bianca, e ficar neste pequeno hotel boutique, a uma quadra e meia de este restaurante muito tradicional. Eu pedi um martini difícil (eles realmente não conhecem coquetéis mistos muito bem), 1/2 garrafa de chianti, este prato e, literalmente, somente esteja no céu. Suspirar….

Minha história & # 8230

Isso, é claro, após o longo vôo. Então, eu subia e descia vários quarteirões inúmeras vezes para me livrar disso, voltava para o hotel e dormia feliz, todo feliz e pleno. Na verdade, uma vez, dormi demais e perdi o trem para Arezzo no dia seguinte, causando algumas complicações para minha querida amiga Tiziana.

Nesta receita de Pasta all’Amatraciana, deve-se aquecer com os flocos de pimenta. Idealmente, você deveria comer bucatini, mas nesta época de pandemia eu usei o espaguete que sobrou.

A carne

Idealmente, você deve usar guanciale, que na Itália, está prontamente disponível e é meu ingrediente favorito absoluto para cozinhar, pois dá muito sabor a qualquer prato. Guanciale é a bochecha do porco. Porque você pode não ter sorte em encontrá-lo aqui, basta usar pancetta ou realmente bom, de alta qualidade, sem nitrato, bacon local, que foi o que usei nessas fotos. Mas se você puder encontrar - A. Maz. Ing. - e saboreie!

Esta é uma massa picante, que é o que me lembro da minha última visita, mas quem sabe. O restaurante foi comprado por chineses. Restavam apenas os doces e velhos garçons italianos que queriam realmente agradar a esta cansada americana.

Eles servem a você um enorme prato de macarrão empilhado. Comi tudo.

Eu andei muito. Eu dormi muito bem.

Esta é a receita para fazer com AMOR e criar suas próprias memórias agradáveis.

Pasta all’Amatriciana - serve 4 e # 8211 6

2 colheres de sopa. azeite de oliva extra virgem
1 quilo de bucatini ou macarrão espaguete
½ libra de guanciale, picado em pedaços de ½ polegada ou bacon local sem nitrato
1 cebola de tamanho médio a grande, picada (no mínimo 1 xícara)
½ colher de chá flocos de pimenta vermelha esmagada
6 dentes de alho picados grosseiramente
1 lata (28 onças) de tomate San Marzano (certifique-se de que a lata diga "D.O.P.") esmagado à mão
1/4 xícara de pecorino romano ralado, mais um pouco a mais para servir
Sal e pimenta fresca a gosto

O processo

Aqueça o óleo em uma frigideira grande ou forno holandês em fogo médio-alto. Adicione o guanciale ou bacon e cozinhe por cerca de 5 minutos, em seguida, adicione a cebola e refogue por mais 3 & # 8211 5 minutos até que o guanciale ou bacon comece a dourar um pouco, mexendo sempre. Adicione os flocos de pimenta vermelha e deixe seu sabor infundir o óleo por cerca de 30 segundos. Em seguida, adicione o alho e cozinhe até que amoleça e comece a ficar com algumas manchas douradas, cerca de 5 minutos.

Adicione os tomates à frigideira. Despeje-os da lata e esmague cada tomate na frigideira. Leve para ferver e depois abaixe o fogo e deixe cozinhar por cerca de 15-20 minutos, mexendo regularmente. Teste o sal e adicione mais, se necessário. Não enlouqueça, porque o guanciale ou bacon local darão um amplo sabor e o pecorino adicionará sal também.

Enquanto isso, leve uma panela grande com água para ferver e salgue generosamente a água assim que começar a ferver com sal marinho grosso. Adicione o macarrão e cozinhe até que esteja quase al dente - 2 minutos a menos do que o tempo de cozimento menor indicado na embalagem. Reserve cerca de ¾ xícara da água do macarrão e escorra o macarrão.

Adicione o macarrão à panela de molho de tomate e cozinhe por mais 2-3 minutos, adicionando a água do macarrão aos poucos para evitar que fique muito seco mexendo sempre, certificando-se de que o macarrão esteja cozido apenas al dente. Você deve usar 1/4 e # 8211 1/2 xícara, pois a massa precisa de mais água para terminar de cozinhar. Junte o Pecorino Romano. Prove e tempere com pimenta e um pouco de sal se precisar. Sirva com um pouco de pecorino a mais se desejar e AMO!


Domingo, 20 de setembro de 2009

Nossa pior refeição na Itália e aprendendo a comer bem

Como acontece com muitas de nossas férias, nosso primeiro dia na Itália foi gasto vagando em busca de bons lugares para comer. Eu havia passado muito tempo vasculhando os arquivos de críticas de alimentos do New York Times, painéis de mensagens em Chow Hound e outros fóruns gastronômicos e outros sites para compilar uma lista de lugares para comer na Itália e, a partir dessa longa lista de opções, eu tinha certeza de que o único problema que encontraríamos seria um bom problema. De todos os restaurantes finos para escolher, onde comeríamos? Esse pode ter sido o caso se estivéssemos procurando em uma noite de sexta-feira em junho, mas era uma noite de segunda-feira em agosto. Acontece que a maioria dos bons restaurantes fechou durante o mês (ou pelo menos nas duas últimas semanas) de agosto, e os que permaneceram abertos não funcionam às segundas-feiras. O que nos restou, então, foram os restaurantes turísticos. E, de fato, embora esses lugares afirmem servir comida, hesito em chamá-los de restaurantes. O lugar que acabamos comendo foi realmente um constrangimento para o país da Itália e para todo o conceito de restaurantes em geral. A comida fazia Olive Garden parecer bom, e o triste era que este lugar tinha uma das comidas mais bonitas de todos os lugares que nós fomos. O mais trágico de tudo isso é que esse é o tipo de merda que muitos turistas que vão à Itália acabam comendo quando visitam o país. Cada local turístico está rodeado por esses restaurantes que oferecem cardápios em cinquenta idiomas, estão lotados de turistas e servem versões mal preparadas de clássicos italianos que usam apenas os piores ingredientes que o dinheiro pode comprar. Suponho que isso faça sentido, no entanto. Servir um turista é um jogo de um único período. Restaurantes bem localizados podem receber todo tipo de turista perdido, e eles sabem que esses turistas nunca mais voltarão. O tipo de turista que normalmente come nesses restaurantes não vai sair e escrever uma crítica online contundente, e certamente não vai ler essas críticas, mesmo que elas existam. Os locais não seriam pegos mortos comendo nesses lugares, então não há absolutamente nenhum incentivo para produzir alimentos que sejam bons o suficiente para trazer os clientes de volta. Tudo o que você quer fazer é produzir comida da forma mais barata e rápida possível, para poder juntar o dinheiro dos turistas. E, o tempo todo, os clientes ficam sentados pensando "Ei! Estou na Itália, comendo comida italiana de verdade. Isso é igual ao Olive Garden. Adoro esse lugar!" Ugghh.

Portanto, as lições aprendidas com tudo isso são: 1) Se você espera comer bem em uma segunda-feira à noite no final de agosto, planeje com antecedência e certifique-se de que sua casa esteja aberta; 2) não coma perto de atrações turísticas. Em geral, existe uma relação inversa entre a qualidade dos alimentos e a densidade turística.

A lição mais importante não foi aprendida até alguns dias depois, mas, isso é importante e realmente tudo que você precisa saber para comer bem na Itália. SIGA OS CARACÓIS.
Existe uma organização, fundada por um grupo de foodies na Itália, chamada Slow Food, que se dedica à preservação das formas tradicionais de cozinhar. Embora tenha começado na Itália, tornou-se uma presença global no mundo alimentar. Entre outras coisas, esta organização analisa restaurantes e se os editores acreditam que um restaurante faz um trabalho exemplar na preparação e apresentação da comida italiana regional, eles o incluirão em uma publicação anual. Se você está planejando uma viagem à Itália, compre este livro. Será um dos melhores investimentos que você fará. * Os restaurantes que recebem o selo de aprovação do Slow Food exibem um adesivo em sua vitrine com um pequeno caracol. Se você seguir esses caracóis, nunca comerá uma refeição ruim. É importante notar que se você quiser uma culinária moderna super chique, provavelmente não a encontrará no guia Slow Food. Este é o recurso para uma tarifa mais simples e tradicional. Mas não é isso que você quer de férias na Itália? Se você deseja alta qualidade, consulte o guia Michelin.

Quando começamos a seguir os caracóis e a comer em restaurantes aprovados pelo Slow Food, a qualidade de nossa alimentação melhorou consideravelmente. Embora você possa obter ótimas recomendações de críticos gastronômicos e outros viajantes em sites e fóruns, isso consome tempo e o controle de qualidade é questionável. Claro, alguém pode ter escrito uma crítica sobre um ótimo restaurante que frequentou em Roma, mas como você sabe como ele se compara? Um turista só pode comer em alguns restaurantes, então se disser: "Este lugar é o melhor", eles estão realmente dizendo "Dos milhares de restaurantes em Roma, eu comi às cinco e este foi o melhor dos cinco." Os editores do Slow Food têm um pouco mais de perspectiva. Eles comem em mais restaurantes e têm um melhor conhecimento da história da comida de uma região. Tão importante, porém, é o fato de que você pode simplesmente pegar este livro e terminar com ele. Você não precisa gastar horas coletando recomendações aleatórias de estranhos. Em vez disso, quando ficar com fome, abra o livro e veja o que está por perto.

* Além do livro Slow Food, eu recomendaria que todos os usuários do iPhone comprassem o plano de dados internacional quando viajarem para a Itália. As ruas aqui são mal sinalizadas, raramente retas e sempre confusas. O mapa e a bússola do iPhone são fantásticos para navegar por cidades como esta. Quer saber como chegar a algum lugar? Abra o mapa do iPhone, procure seu destino e ele traçará seu curso. No meio de uma praça e não sabe por onde começar a andar? Basta ligar a função de bússola e ela o colocará na direção certa. É realmente uma ferramenta de viagem incrível.

** A imagem no topo não é do restaurante horrível em que comemos. Só preciso de uma foto das placas de neon do restaurante.